Fotografo: Secom/VG
...
Secom/VG

Cerca de 560 gestantes participaram do evento que marcou o encerramento das atividades de 2019 do projeto social 'Laços Maternos', da secretaria municipal de Assistência Social de Várzea Grande. Desde que foi criado em 2015, mais de 1.600 mulheres já foram beneficiadas com acesso à saúde, qualificação profissional e oficinas que contribuem com desenvolvimento social de maneira integrada dessas gestantes e suas famílias. Como o projeto visa proporcionar qualidade de vida às futuras mães e seus bebês, as participantes projeto também recebem atenção especial da Saúde Municipal.

Dentro desta iniciativa, semanalmente, são realizadas palestras ministradas por uma equipe multidisciplinar que levam às mulheres gestantes temas relacionados a gravidez e também trabalhos artesanais, onde as futuras mamães aprendem a confeccionar o seu enxoval.

Ao final da gravidez a gestante leva pra casa um kit com diversos produtos que auxiliam nos cuidados com o bebê. Tudo é oferecido pelo município de forma inteiramente gratuita. A iniciativa é uma promoção da Secretaria de Assistência Social em parceria com a Secretaria da Saúde e Centros de Referência de Assistência Social (CRAS).

Na 7ª edição do projeto 'Laços Maternos', já contabiliza cerca de 1.600 gestantes atendidas desde a implantação em 2015. O projeto é promovido em 48 bairros e neste semestre atendeu mais 560 gestantes e/ou mães acompanhadas em proteção socioassistencial, saúde e qualificação profissional. A solenidade de encerramento foi realizada no auditório do anexo II da Secretaria Municipal de Educação, bairro Marajoara.

O projeto tem intuito de promover cuidado, proteção, orientações, acompanhamento, assistência médica e social, além de acolhimento e apoio às gestantes facilitando o entendimento de suas transformações, buscando trazer maior nível de consciência e maturidade do que se passa dentro e fora do corpo, envolvendo emocional, físico e o social, até o nascimento do bebê, onde a mãe, já sabe onde vai nascer e na garantia de cuidados dentro da Rede SUS no período do nascimento, e no decorrer do crescimento da criança.

A secretária de Assistência Social, Flávia Omar, presente no evento, falou para as gestantes da importância do projeto e da presença de cada uma nas atividades. "O ‘Laços Maternos’ tem o objetivo de auxiliar no bem estar da mamãe e do bebê, promovendo uma gestação mais tranquila e saudável", ressalta.

De acordo com secretária de Assistência Social, o projeto visa garantir saúde e desenvolvimento psicoemocional durante a gestação da mãe e a primeira infância do bebê. "Esse é mais um incremento para favorecer as mulheres, sobretudo, as que encontram em situação de vulnerabilidade social. O projeto assegura que as mães, com os filhos, possam ser assistidas por instrumentos sociais, de saúde e de empoderamento de qualificação profissional para fortalecimento de vínculos e convivência comunitária”, esclarece.

O projeto conta com eixo de Política de Atenção às Mulheres que consiste em acompanhamento familiar e a inclusão nos demais serviços ofertados pelos CRAS.

“Além do acompanhamento do pré-natal, por meio da estratégia Saúde da Família, o eixo de Saúde atua de forma informativa, oferecendo oficinas que buscam tornar o processo da gestação, do parto e do nascimento mais seguro e confortável. O projeto busca orientar sobre os cuidados necessários com a mãe e o bebê”, explica Flávia Omar.

A gestante Jéssica de Arruda, 28 anos, do bairro Vila Arthur, agradeceu a iniciativa da prefeitura por executar o projeto social nas comunidades carentes da cidade. “Minha realidade está sendo mudada, por meio do projeto, que me atende muito bem durante minha gestação com cuidados médicos e contribuiu para despertar e aprimorar conhecimentos em artesanatos. Com as técnicas que aprendi, já estou fazendo o enxoval do meu bebê. Vou preparar tudo com muito amor para chegada do meu filho. Pretendo também ampliar conhecimentos e técnicas para fazer desta capacitação uma profissão visando incremento da renda familiar doméstica”, disse ela.

Para participar do projeto, as gestantes devem procurar um polo de referência (o mais próximo da sua residência) e apresentar comprovante de endereço e RG. Após esse primeiro processo, será realizada uma análise socioeconômica da família para participação na atividade, que tem como público alvo: gestantes em situação de vulnerabilidade social. O projeto é executado nas Unidades Básicas de Saúde, Policlínicas, Programa de Saúde da Família (PSFs) e nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS).